Empreendedorismo é destaque na 1ª edição do Encontro da Jovem Advocacia do Sul

23/10/2017 - Geral

IMG-20171020-WA0016.jpg Ricardo Pereira
Presidentes das comissões da jovem advocacia nacional e dos estados de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande Do Sul, Rio De Janeiro, São Paulo, Bahia, Mato Grosso, Rio Grande Do Norte, Maranhão e Distrito Federal

A primeira edição do Encontro Regional Sul da Jovem Advocacia, que reuniu novos colegas de profissão dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, foi marcado pela presença de lideranças nacionais, especialistas em Direito, mas sobretudo pelo empreendedorismo e a paixão pela profissão. Os dois assuntos foram destaque no discurso de grande parte dos palestrantes, que ampliaram o debate sobre os desafios comuns aos profissionais em início de carreira.

A extensa programação, dividida em dois dias de evento, contou com mais de 300 inscritos. Para a organizadora, Clarissa Medeiros, presidente da Comissão OAB Jovem de Santa Catarina, estes encontros são importantes pois, atualmente, os novos colegas representam cerca de 35% dos advogados no País. “Precisamos da jovialidade e energia que a jovem advocacia possui para enfrentar não só os entraves profissionais, mas, também, aqueles a que estamos todos dispostos em tempos sombrios”, afirmou.

Durante o segundo dia de evento, os quinze painéis temáticos foram divididos em duas salas, o que permitiu uma maior abrangência de assuntos proporcionando ao congressista escolher o que melhor se adequava ao seu interesse. As novidades ficaram por conta das especialidades do direito, com palestrantes especializados em Direito da Moda, Direito Digital e Direito Desportivo.

O conselheiro federal e ex-presidente da OAB/SC, Tullo Cavallazzi Filho, falou sobre Direito Desportivo ao lado dos advogados Rodrigo Bayer e Pedro Alfonsin. Juntos, debateram sobre justiça desportiva e violência no esporte. O debate sobre Direito da Moda foi comandado pelas advogadas catarinenses Frederica Richter e Gisele Ghanen Cardoso. Elas apresentaram um panorama histórico sobre a especialidade e chamaram atenção para as oportunidades que ainda não foram exploradas no mercados.

Em seguida, Coriolano Almeida Camargo falou sobre os novos mercados da economia digital e o Direito Digital. Simultaneamente, em outra sala, os advogados Leonardo Lamachia e David Novoa falaram sobre sociedades de advogados e gestão de escritórios de advocacia.
A construção de uma marca pessoal, estratégias para início de carreira e como gerir sua imagem na advocacia ficaram por conta dos advogados Marina Gondin Ramos, Leandro Nava e a especialista em marketing, Camila Berni.

Presidentes das comissões da jovem advocacia de diversos estados lideraram um painel denominado “de jovem para jovem”, que focou na troca de experiências entre os novos colegas. O evento contou também com palestra sobre as caixas de assistência, com os advogados Ricardo Perez, Marcus Antônio Silva e Luciano Demaria. Além disso, Ezair Meurer, presidente da OAB Prev, aconselhou os jovens a pesquisarem e investirem na previdência complementar.

Aspectos considerados clássicos para a advocacia não foram deixados de lado. Solon Sehn e Gustavo Amorim ficaram responsáveis pela reflexão sobre os desafios do Direito Tributário na sociedade atual. Rodrigo Cassol Lima abordou a Insolvência Civil como ferramenta à execução forçada e Ester Lia Maria orientou os jovens sobre a modernização das relações de trabalho promovida pela lei nº 13.467/2017.

A especialização do advogado criminal também foi tema amplamente debatido pelos advogados Tiago Minagé e Marcos José Cattani, eles apontaram que o aperfeiçoamento é uma exigência no mercado de trabalho contemporâneo.

A palestra de encerramento incrementou o debate sobre o Código de Processo Civil com a presença dos advogados Daniel Mitidiero, Marcus Vinicius Borges e Eduardo Mello e Souza. Daniel Mitidiero, autor do livro Novo Código de Processo Civil Comentado, escrito em coautoria com Luiz Guilherme Marinoni e Sérgio Cruz Arenhart, falou sobre o novo CPC e suas peculiaridades. Para ele, o marco do novo código brasileiro é a cooperação e o fato de que traz a necessidade de um maior empenho no diálogo entre o juíz e as partes envolvidas no processo. “Além disso, o novo CPC visa promover a unidade do direito”, explicou. “Um dos instrumentos pelos quais ganha sua força e operacionalidade é a colaboração, vista como um modelo de relacionamento entre os juíz e as partes”.

Marcus Vinícius Borges, presidente da Comissão de Estudos do novo Código de Processo Civil da OAB/SC falou sobre o dever de fundamentação das decisões judiciais e aconselhou os novos colegas: “Os advogados vão ter que mudar seu jeito de mitigar em juízo, em especial, seu jeito de fundamentar as peças, temos que dar o exemplo se queremos exigir do magistrado um comportamento diferente”, disse.

Eduardo Mello, conselheiro estadual da OAB/SC, encerrou o encontro com uma palestra repleta de conselhos aos jovens advogados. Para ele, o mais importante na vida profissional é buscar o autoconhecimento, ter paciência consigo mesmo e aproveitar suas aptidões . “Fazer o que gosta e humanizar seus relacionamentos, buscar a proximidade com seus clientes, são minhas dicas para uma carreira bem sucedida”, afirmou.

Assessoria de Comunicação da OAB/SC

  • RIC_8183.jpg

  • RIC_8203.jpg

  • RIC_8269.jpg

  • RIC_8286.jpg

  • RIC_8357.jpg

  • RIC_8362.jpg

  • RIC_8366.jpg

  • RIC_8379.jpg


Últimas notícias